Postagens

Mostrando postagens de Junho 23, 2016

Agreste News: SESI/PE ensina receitas juninas para não deixar ninguém de fora da festa

Imagem
A riqueza da culinária junina é de deixar muita gente com água na boca, mas também representa um sofrimento para quem possui algum tipo de restrição alimentar devido à diabetes, alergia ao glúten, à lactose, entre outros. Mas, para provar que todo mundo pode aproveitar as festas de São João e São Pedro sem culpa e sem prejudicar a saúde, o programa Alimentação Saudável na Indústria, do Serviço Social da Indústria em Pernambuco (SESI/PE), ensina duas receitas saborosas e de baixo custo: canjica de milho verde diet e docinho de arroz (confira no final da matéria). A canjica de milho verde diet pode ser consumida por todos, mas é uma excelente opção para diabéticos, pessoas que estão fazendo dieta e também por celíacos (alérgicos ao glúten) ou intolerantes ao glúten. Já o docinho de arroz é um bom substituto para o beijinho, “só que mais saudável, pois possui as fibras do arroz, dá energia, ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue e tem menos calorias pois não leva leite condensado…

Agreste News: Mel da Mochila fala da importância do esporte para a juventude

Agreste News: Ex-ministro de Planejamento e Comunicação foi preso na manhã dessa quarta-feira (23)

Imagem
A população brasileira acordou hoje, com a notícia de mais um ex-ministro dos governos de Lula e Dilma preso, Paulo Bernardo, ex-ministro de Planejamento de Lula e ex-ministro das Comunicações do primeiro mandado de Dilma. O fato aconteceu nessa quarta-feira (23) em um desdobramento da 18° fase da Operação Lava Jato. O ex-ministro é esposo da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).  A defesa de Paulo Bernardo disse desconhecer a causa da prisão, pois o mesmo sempre se colocou a disposição das autoridades. Segundo informações da PF, o objetivo da Operação é apurar o pagamento de propina, no valor de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, referente a contratos de prestação de serviços de informática.  Os crimes investigados na operação são de tráfico de influência, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, com penas de 2 a 12 anos de prisão. Paulo Bernardo e Gleisi haviam sido indiciados pela PF em março por suspeitas de que dinheiro desviado da …