Condepe/Fidem sedia lançamento de livro do padre Lebret sobre desenvolvimento urbano

Diálogos com Lebret: 60 anos depois traz o texto original da obra lançada em 1955 e artigos de autoria de professores e pesquisadores

Foi lançado neste quinta-feira, 15, no auditório da Agência Estadual de Planejamento e  Pesquisas de Pernambuco - Condepe/Fidem, o livro Diálogos com Lebret: 60 anos depois. O volume foi dividido em três partes e inclui o texto original do livro Estudo sobre desenvolvimento e implantação de indústrias interessando a Pernambuco e ao Nordeste.
A publicação do livro foi realizada pela Consultoria Econômica e Planejamento (Ceplan), dentro das atividades comemorativas aos seus 20 anos de existência, em parceria com a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). O presidente da Agência Condepe/Fidem, Flávio Figueiredo, esteve à frente do evento que reuniu autoridades diversas envolvidos com a temática, entre eles os autores de textos do livro – o sociólogo Francisco Jatobá, o professor Tarcísio Francisco,  o economista Jorge Jatobá e a arquiteta Virgínia Pontual, além dos diretores executivos da Agência Condepe/Fidem, Maurílio Lima e Luciano Pinto, e outros técnicos.
Em sua fala inaugural, Flávio Figueiredo elogiou a agilidade do pároco no desenvolvimento do trabalho, que qualificou como uma obra de vanguarda. “O lançamento deste livro não poderia ocorrer em outro local, pois o trabalho originou a Comissão de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco - Codepe, que se transformou em Conselho de Desenvolvimento de Pernambuco - Condepe, e hoje faz parte da Agência Condepe/Fidem. O trabalho desta instituição é voltado para o desenvolvimento de Pernambuco econômica e
socialmente”, afirmou. Para o gestor, as orientações do livro estão em consonância com os objetivos da entidade.
Na contracapa do volume, a economista da Ceplan, Tânia Bacelar, registra que a intenção da reedição é a de estimular novas leituras sobre a trajetória do desenvolvimento nacional e regional nos últimos 60 anos, com foco em desafios da realidade atual. Outro dado
importante é que os estudos realizados sob a coordenação do padre foram fundamentais para a formação de entidades de planejamento criadas no Brasil.  Outro ponto ressaltado no livro é a preocupação com a preservação de sítios,  nascentes e cobertura vegetal que continua atual.
A primeira edição do livro ocorreu em 1955, quando o pároco reuniu estudos que fez em Pernambuco e no Nordeste. No texto, o autor dissecou problemas nacionais, regionais e locais, propondo um elenco inovador de iniciativas para implementação na posteridade. Foi escrito de forma corriqueira, com apresentação de dados e de mapas.  Nesta edição atual, os textos escritos pelo pároco fazem parte da primeira parte.
A segunda parte traz um conjunto de artigos de autoria de professores e pesquisadores, com reflexões acerca de aspectos específicos do trabalho original, no âmbito de suas áreas de expertise. Roberto Cavalcanti tratou de “O Recife ao tempo do relatório do padre
Lebret”; Virgínia Pontual escreveu sobre “Conceito e prática de planejamento urbano: contrapontos ao estudo de Lebret para Pernambuco”; Tarcísio Patrício abordou  “Desenvolvimento e recursos humanos em Lebret”; “Desenvolvimento industrial de Pernambuco: uma análise a partir das contribuições de Lebret” foi escrito por Aldemir do Vale e Jorge Jatobá; “Fragilidade da economia de Pernambuco e do Nordeste”, é de
Leonardo Guimarães Neto e Valdeci Monteiro; e, “Economia e humanismos nos trópicos – Lebret, um precursor das relações Sul-Sul”, de Marcos Costa Lima.  A última parte traz as notas biográficas intituladas “O padre Lebret, o Brasil e o Desenvolvimento”,  de Guy Martinere.
“As propostas do padre repercutem amplamente – direta ou indiretamente – no planejamento econômico do Estado. Seus textos dialogam com as áreas limítrofes da economia, seja, o  planejamento urbano, a geografia, entre outras”, registra Francisco Jatobá.

Postagens mais visitadas deste blog

Lamentável: Jovem de Paranatama morre em acidente de moto

Janailton Roldão foi encontrado morto em apartamento em Garanhuns

O município de Paranatama está de luto com a morte de Cinalda Lima