NO DIA DO LIVRO, AGÊNCIA CONDEPE/FIDEM DIVULGA RICO ACERVO BIBLIOGRÁFICO

A Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco - Condepe/Fidem estimula o hábito da leitura e apóia as iniciativas referentes a esta atividade, como forma de contribuir para a construção das cidades e de conhecimento.
A entidade além de guardar e preservar um acervo bibliográfico mais de 50 mil publicações, incluindo obras raras para o urbanismo como o acervo do Padre Louis Joseph Lebret; apóia a produção literária de centenas de historiadores pernambucanos, através do Centro de Estudos da História Municipal (CEHM).
O presidente da entidade, Flávio Figueiredo, registra a importância de se ter uma data especifica para lembrar a leitura para a evolução do ser humano. Ele referiu-se à comemoração do Dia Nacional do Livro, datado em 29 de outubro.
Flávio Figueiredo comenta que é através dos escritos que as pessoas vislumbram as culturas, histórias e hábitos diferentes e compreendem as realidades de cada município, do Estado e do País.

LIVROS RAROS - A Biblioteca da Agência Condepe/Fidem é considerada referencial em temas voltados para o desenvolvimento de Pernambuco, além de preservar documento contendo a memória técnica da entidade. Funciona em espaço próprio na rua Barão de São Borja, 526, na Boa vista, no horário das 8h às 13h.
No local, os visitantes podem ter acesso a livros onde podem conhecer as histórias de cidades, com enfoque no urbanismo (área de crescente interesse). Muitos deles mostram o que é uma cidade e como ela funciona. A evolução dos Planos Diretores ao longo dos anos. "O leitor pode entender as cidades, e descobrir que são organismos incríveis e complexos. Também permite ao arquiteto urbanista compreender o seu papel como coadjuvante, delegando o controle dos municípios aos seus próprios cidadãos", relata o diretor de Sistematização e Disseminação de Informações da Agência Condepe/Fidem, Edvaldo Câmara, responsável pela biblioteca.
Um dos mais importantes acervos é constituído pelas obras do Pe. Lebret, com escritos antigos que pertenceram ao acervo pessoal dele, que se destacou em estudos sobre o Desenvolvimento Econômico no Nordeste e principalmente em Pernambuco, onde participou de estudos da Comissão de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco - Codepe.
A comissão nasceu em 1952, com um pequeno time técnico presidido pelo Governador Etelvino Lins de Albuquerque e deu origem ao Conselho de Desenvolvimento de Pernambuco - Condepe, um dos três órgãos que juntos hoje formam a Agência Condepe/Fidem (mais a Fundação de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Recife - Fidem e a Fundação Instituto de Administração Municipal - Fiam).

HISTÓRIA - Outro importante acervo é o de livros de Nelson Barbalho, que integra coleções de livros do CEHM. O escritor, historiador, jornalista, crítico de cinema e roteirista caruaruense falecido em 1993, foi um dos fundadores do Centro, que congrega os historiadores pernambucanos, desenvolvendo ações de incentivo a estes intelectuais.
O acervo de Nelson Barbalho constitui conjunto documental passível de ser explorado pelos que buscam compreender a trajetória do autor. "A extensa obra do escritor é uma referência para aqueles que cultivam a memória pernambucana, e em especial a do município de Caruaru. Com a divulgação deste acervo estamos estimulando a perpetuação da história das cidades pernambucanas", acrescentou o coordenador do CEHM, Miguel Meira.

DATA - O Dia do Livro surgiu em homenagem à fundação da Biblioteca Nacional do Livro, em 1810, pela Coroa Portuguesa. Na época, D. João VI trouxe para o Brasil milhares de peças da Real Biblioteca Portuguesa, formando o princípio da Biblioteca Nacional do Brasil. Vale lembrar que o Brasil começou a editar seus próprios livros ainda em 1808, quando D. João VI fundou a Imprensa Régia. O primeiro livro a ser editado foi "Marília de Dirceu", do escritor Tomás Antônio Gonzaga.

Postagens mais visitadas deste blog

Lamentável: Jovem de Paranatama morre em acidente de moto

Janailton Roldão foi encontrado morto em apartamento em Garanhuns

O município de Paranatama está de luto com a morte de Cinalda Lima