Jornalista Shirley M. Cavalcante (SMC) entrevista escritor Sandro Cuesta

 

Jornalista Shirley M. Cavalcante (SMC) entrevista escritor Sandro Cuesta

Sandro Luiz Cuesta, nascido na cidade de São Paulo no dia 12 de Agosto de 1976, mas reside há 6 anos em São José dos Campos. Filho de Claudio Cuesta (in memorian) e Ivani Cuesta. Formado em Administração de Empresas com habilitação em Recursos Humanos pela Universidade Paulista, com diversos cursos de extensão voltados para a área administrativa, financeira e serviços ,atualmente como escritor, tem realizado diversas oficinas e momentos de prosa com estudantes em escolas da cidade.Chegando Perto(2012), Descobertas-Discoveries(2013) e Olhos nos Olhos(pré-lançamento em Julho/2014) são os títulos dos livros do autor. Pratica alguns esportes, como ciclismo e corrida. Gosta de passear aos finais de semana para caminhar, ler, visitar amigos, ir ao cinema ou teatro e também adora viajar.

“As pessoas têm uma grande dificuldade de olhar nos olhos umas das outras, principalmente quando o assunto é sério, mas percebi que em quase todas as situações as pessoas não se olham, por isso me motivei em ter este título no livro.”

Boa Leitura!

SMC - Escritor Sandro Cuesta é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor. Conte-nos o que o motivou a ter gosto pela escrita?

Sandro Cuesta - Primeiramente eu é quem devo agradecer a abertura que você e o projeto Divulga Escritor estão me concedendo para falar um pouco de literatura e porque não de poesia também. Bem, tudo começou em um momento de mudança em minha vida, pois precisei vir morar em São José dos Campos e posteriormente ficar sozinho na cidade. Sempre gostei muito de ler os letreiros de trânsito nas ruas, mas nunca livros. De um momento de reflexão em um parque da cidade veio a idéia de escrever pensamentos, mas nunca imaginei que seriam poesias. E daí tudo criou uma nova forma de pensar e agir e de todas as escritas, nasceu um trabalho que particularmente nem eu acreditava que sairia do papel.

SMC - Em que momento você pensou em escrever e publicar um livro?

Sandro Cuesta - Nunca pensei em escrever livros, mas quando apresentei os escritos para uma coordenadora de linguagens e professora (Sandra Guimarães, que hoje é minha parceira nas divulgações nas escolas da cidade) que trabalha comigo, ela me disse na hora para transformar-mos tudo aquilo em um livro. Eu disse que era loucura e ela me incentivou muito neste momento à fazer o trabalho. Inclusive ela mesma foi quem revisou cada poesia junto comigo; Me orientou e indagou em algumas, apresentou sugestões e daí nasceu a grande vontade de escrever. Acredite se quiser: um ano depois ela também escreveu um livro destinado ao público infantil. Veja como é o destino das coisas. Só basta querermos.

SMC - Que temas você aborda em seu livro “Chegando Perto”?

Sandro Cuesta - Chegando Perto é exatamente o idéia do título: chamar o leitor para se aproximar de mim e ir além do papel. Falo da sustentabilidade do planeta, a falta de educação no trânsito, o preconceito das pessoas ao que é diverso, ao excesso de informação e a falta de perspectiva que ronda o mundo atualmente. Sigo uma linguagem concretista neste livro, que oras se torna lispectoriano, já que a minha inspiração para leitura primeiramente foi Clarice Lispector (Livro: A hora da estrela). Achei lindo este livro e ele sempre me guia nos pensamentos de meus projetos. Quero dar esperança ao leitor de que tudo será melhor, mesmo em se tratando de uma linguagem abstrata.

SMC - Como foi a construção do seu livro “Descobertas-Discoveries”?

Sandro Cuesta - O Descobertas – Discoveries foi um livro pensando no retorno dos leitores de Chegando Perto. Fiz poesias e dediquei a cada pessoa que me retornou ou sugeriu mudanças na forma de escrever. Fiz uma interação literária com os leitores e construi parte deste livro com as idéias deles. Falo muito do amor neste trabalho e a classificação dele seria mais para o público adolescente e adulto. Também pensei no público estrangeiro e por isso construi poesias em inglês para prestigiar à todos, pois como trabalho em uma escola internacional, senti que poderia atender àquelas crianças de uma maneira educativa e poética.

SMC - Qual a mensagem que você quer levar ao leitor através de suas obras?

Sandro Cuesta - Quero que eles cresçam em sabedoria e que se motivem também à escreverem pequenos textos, que futuramente poderão se tornar grandes livros, porque não. Muito amor no coração, sensibilidade, esperança, afeto, equipe, união, espiritualidade entre outros adjetivos importantes para a nossa vida.

SMC - Sandro, soube que esta vindo um novo livro, podes nos contar um pouco sobre sua nova obra literária?

Sandro Cuesta - Sim. Está chegando mais um trabalho e estou muito feliz. Desta vez, consegui apresentar à uma editora de Guaratinguetá que me deu um retorno muito positivo, gostou do trabalho e irá publicar. Fiquei sem palavras quando o editor me retornou a ligação para dizer isso. Em Olhos nos Olhos, título do livro, vou trabalhar com o leitor três formas de olhar: Olhares nos olhares, olhares da alma e olhares nonsenses. As pessoas têm uma grande dificuldade de olhar nos olhos umas das outras, principalmente quando o assunto é sério, mas percebi que em quase todas as situações as pessoas não se olham, por isso me motivei em ter este título no livro. Quando o leitor ler minhas poesias, sentirá que eu estou na frente dele, de olhos fixos nele e falando diretamente à ele sobre os temos que abordo nas páginas do livro. Aguardem…

SMC - Conte-nos sobre o seu projeto nas Escolas, qual o objetivo, público-alvo?

Sandro Cuesta - Bem, me juntei com dois professores, sendo um deles artista plástico e montamos um projeto para divulgar nas escolas da cidade. Eu entro com as oficinas de poesias, flores, papel reciclado para fazer cartões poéticos, fotopoemas e sarau poético intitulado descobertas. Tenho realizado alguns trabalhos em escolas desde o segundo semestre de 2013 e neste ano de 2014 não está diferente: Fechei com uma escola da cidade a realização de todas as oficinas elencadas acima em troca da mesma adotar um número de livros para trabalhar nas salas de aula com as crianças. Minha meta neste ano é disseminar a literatura e a poesia em todas as escolas que eu puder entrar, pois futuramente os próprios alunos farão as suas produções e se tornarão independentes para a realização até das oficinas que eu ofereço.

SMC - Quem desejar como deve fazer para levar o projeto para sua Instituição de Ensino?

Sandro Cuesta - A instituição interessada deve apenas enviar um e-mail para:

cuestacuba@hotmail.com

www.chegandoperto.blogspot.com.br

Tel: (12): 99221.9066

Depois do primeiro contato eu marco para enviar ou ir pessoalmente na escola apresentar o projeto e as condições.

SMC - Como você vê o mercado literário no Brasil?

Sandro Cuesta - Vejo ainda muitos desafios no mercado literário no Brasil. As crianças brasileiras ainda leem pouco e como os estudantes atualmente estão ligados muito nas tecnologias do momento, acabam deixando de lado um pouco o livro físico. Esta tendência tecnológica já era esperada, mas nunca devemos abrir mão de um livro de papel. Lembro-me de uma entrevista em que o cantor Zeca Baleiro disse que sempre leva seus filhos à uma livraria para escolherem um livro, todos os meses, sem proibí-los de lerem pelos IPAD’s e Tablets e isso deveria ser uma regra para todos. O governo investe muito pouco na cultura e isso implica diretamente no mercado literário, mas não vou polemizar isto aqui, pois não cabe somente à mim, mais há mais de 200 milhões de brasileiras, certo?kkk.

Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário brasileiro?

Sandro Cuesta - Um incentivo maior nas escolas públicas em relação à literatura. Existem tantos dias para celebrar com os alunos e com a comunidade escolar: Dia do livro, da poesia, do escritor, do leitor, etc. Precisamos criar este clima nas escolas e repartições que lidam com as crianças, para que elas se desenvolvam cada vez mais. Vejo tantos erros nas redes sociais e isto é nada mais do que falta de leitura de bons livros.

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor o Escritor Sandro Cuesta, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Sandro Cuesta - Agradeço a oportunidade de partilhar um pouco da minha caminhada literária, que apenas começa. Gostaria antecipadamente de agradecer algumas pessoas que estão fazendo parte deste sucesso: Deus, minha família, Sandra Araújo, Quinho Miranda, Cyntia Consiglio, Aldo Simões e Mirian Menezes.

Deixo para os leitores a seguinte mensagem: Procurem sempre chegarem perto das descobertas, mas com olhos nos olhos, sempre. Não tenham medo de arriscar. Adicionei o título dos meus três filhos nesta frase final. Até mais e viva a poesia.

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Postagens mais visitadas deste blog

Lamentável: Jovem de Paranatama morre em acidente de moto

Janailton Roldão foi encontrado morto em apartamento em Garanhuns

O município de Paranatama está de luto com a morte de Cinalda Lima